• Roni Carlos Costa Dalpiaz

COLUNAS ANTIGAS - CEMITÉRIO NO MORRO DO FAROL

Atualizado: Mai 16

Coluna originalmente publicada no jornal A Folha no ano de 2012.

Ao lado do cemitério, no morro do farol, podia-se ver a cidade, o mar e a serra. È isso mesmo, um cemitério no morro do Farol. Ele ficava atrás do Farol antigo (o de 1952), exatamente onde hoje se estacionam os carros para observar o mar lá de cima. “Os historiadores nos dão notícia da existência do cemitério de Torres localizado no morro do Farol, também chamado de torre do Norte. Realmente o cemitério lá se conservou até a década de 60, proporcionando ambiente triste e melancólico para os que visitavam o Farol.” As autoridades da época achavam um incômodo ter um cemitério no lugar mais alto da cidade de onde se poderia vislumbrar a cidade como um todo. E de fato todos consideravam turisticamente inviável um cemitério em um dos cartões postais do município, e assim se fez a remoção para o campo bonito. “Por iniciativa da SAPT e com sua colaboração financeira, a prefeitura municipal de Torres, por seu prefeito Manoel João Machado, foi o cemitério removido. E os restos mortais de cerca de 30 tumbas, colocados em jazigos perfeitamente identificáveis, foram transferidos para o cemitério Municipal nas imediações da BR 101 na entrada da cidade.” A França recebe visitantes de todos os países do mundo muito por suas belezas arquitetônicas e principalmente pelos aspectos culturais. Entre os diversos destaques culturais e históricos emerge o turismo cemiterial, é turismo dentro de cemitérios. O mais importante da França é o Pére Lachaise, conhecido por ser o mais visitado em todo o mundo recebendo cerca de 2 milhões de visitantes por ano. Tendo em seu interior túmulos de celebridades como Chopin, Oscar Wilde, Balzac, Marcel Proust, Modigliani, Edith Piaf entre outras. Mais próximo de nós está o cemitério da Recoleta, em Buenos Aires na Argentina, que atrai milhares de pessoas principalmente para conhecerem o túmulo de Evita Perón.Em Porto Alegre os cemitérios têm atraído grande público, pois possuem monumentos de relevância artística e túmulos de pessoas famosas como os de Otávio Rocha, Júlio de Castilhos, Pinheiro Machado e o cantor Teixeirinha (todos no cemitério Santa Casa de Misericórdia). Entre os cemitérios, se destacam o da Santa Casa de Misericórdia, o São Miguel de Almas e o São José I e II, todos parecendo museus ao ar livre com cerca de 300 obras de arte produzidas por artistas europeus e locais entre os anos de 1820 a 1940. Enfim, o turismo cemiterial foca a exploração do patrimônio artístico e arquitetônico dos cemitérios, bem como a busca por personalidades que neles foram sepultadas. Resultando desta atividade frutos para todos envolvidos no trade turístico e fazendo de um possível “incômodo” mais um produto turístico de uma cidade ou região. Por incrível que pareça removemos um cemitério histórico em prol do turismo e justamente por ele seria justificada, atualmente, a sua manutenção.

9 visualizações